a dona desse blog
é de uma teimosia absurda. além de ser psicóloga, é leitora, aspirante à escritora, filha, irmã, tia e amiga, é indecisa por natureza, não sabe fazer planos e deixa sua vida ser dominada por uma ansiedade que ela sempre achou que disfarçava bem. acha que todo dia é ideal pra questionar se suas ações estão certas, se está sendo justa consigo, se faz o que gosta (e por enquanto faz). é uma dessas pessoas que gosta da solidão da própria companhia mas não dispensa uma cervejinha com aquelas pessoas que sabem conversar, de preferência em um boteco bem boteco, porque estes servem as mais geladas.

livejournal
orkut
lastfm
twitter
facebook

links
ficadica
lentes coloridas
música de elevador
felicidade plástica
te amo, porra
um solilóquio
assopra tu
fuxicando sobre artes
luckyscars
e a vida, etc.
tofu studio
pipoca com cerveja
don't hesitate to hate
casa da chris
fina flor
fingindo dores
das minhas cores
que besteira
clarissa lamega
circulando por curitiba
terra da garo(t)a
just roll the dice
tantos clichês
I misbehave
vai melhorar, eu juro
superoito
sem pickles
um conto para narciso


passado
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010
Junho 2010
Julho 2010
Agosto 2010
Setembro 2010
Outubro 2010
Novembro 2010
Dezembro 2010
Janeiro 2011
Fevereiro 2011
Março 2011
Abril 2011
Maio 2011
Junho 2011
Julho 2011
Agosto 2011
Setembro 2011
Outubro 2011
Novembro 2011
Dezembro 2011
Janeiro 2012
Fevereiro 2012
Março 2012
Abril 2012
Maio 2012
Junho 2012
Julho 2012
Novembro 2012
Janeiro 2013
Fevereiro 2013
Março 2013
Abril 2013
Junho 2013
Agosto 2013
Setembro 2013
Outubro 2013
Novembro 2013
Dezembro 2013
Fevereiro 2014



  segunda-feira, 21 de janeiro de 2013
Sobre feijão e arroz

Eu poderia dizer que uma das alegrias que 2012 me trouxe foi o fim do mestrado. Mas, dificilmente a gente fica feliz quando tem que se despedir de uma coisa que foi tão boa. Já fiz muita coisa nessa vida, mas até agora a que me deixou mais feliz foi essa. 

Deve ser por isso que eu não queria que acabasse e que eu queria  começar o doutorado logo. O problema foi que eu não passei na seleção e esse plano teve que ser adiado. Lembro que antes de me formar, eu dizia que até os trinta anos, eu queria ter passado por essas duas etapas. Acontece que eu tenho 28 e agora já sei que esse foi um dos planos que entrou na caixinha dos que foram modificados pelas circunstâncias. Tá ficando gorda essa minha caixinha.

Sei da parte que me cabe por eu não ter passado. Não me preparei o bastante, não li o bastante. É sempre difícil pesquisar e sempre muito difícil delimitar um problema. Por isso, já que esse plano ficou para 2014, para este ano resta e preparação. Resta estudar mais, muito mais. Estudar para ter tempo de pensar, pensar para ter o que escrever e poder sair por aí, dando a cara à tapa em outras seleções. Avançar.

Por essas e outras que esse ano vai ser um ano com (um pouco) menos de trabalho. A consequência é um pouco menos de dinheiro também. Sei que, por mais que a gente viva disso, a gente não pode viver para isso

Outro dia, ouvi o seguinte: "A gente pode comer feijão e arroz todo dia. Só não pode ter feijão e arroz na cabeça".

Sempre bom lembrar dos ensinamentos que a gente recebe no bar.

[ 4 Comentários]
eXTReMe Tracker