a dona desse blog
é de uma teimosia absurda. além de ser psicóloga, é leitora, aspirante à escritora, filha, irmã, tia e amiga, é indecisa por natureza, não sabe fazer planos e deixa sua vida ser dominada por uma ansiedade que ela sempre achou que disfarçava bem. acha que todo dia é ideal pra questionar se suas ações estão certas, se está sendo justa consigo, se faz o que gosta (e por enquanto faz). é uma dessas pessoas que gosta da solidão da própria companhia mas não dispensa uma cervejinha com aquelas pessoas que sabem conversar, de preferência em um boteco bem boteco, porque estes servem as mais geladas.

livejournal
orkut
lastfm
twitter
facebook

links
ficadica
lentes coloridas
música de elevador
felicidade plástica
te amo, porra
um solilóquio
assopra tu
fuxicando sobre artes
luckyscars
e a vida, etc.
tofu studio
pipoca com cerveja
don't hesitate to hate
casa da chris
fina flor
fingindo dores
das minhas cores
que besteira
clarissa lamega
circulando por curitiba
terra da garo(t)a
just roll the dice
tantos clichês
I misbehave
vai melhorar, eu juro
superoito
sem pickles
um conto para narciso


passado
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010
Junho 2010
Julho 2010
Agosto 2010
Setembro 2010
Outubro 2010
Novembro 2010
Dezembro 2010
Janeiro 2011
Fevereiro 2011
Março 2011
Abril 2011
Maio 2011
Junho 2011
Julho 2011
Agosto 2011
Setembro 2011
Outubro 2011
Novembro 2011
Dezembro 2011
Janeiro 2012
Fevereiro 2012
Março 2012
Abril 2012
Maio 2012
Junho 2012
Julho 2012
Novembro 2012
Janeiro 2013
Fevereiro 2013
Março 2013
Abril 2013
Junho 2013
Agosto 2013
Setembro 2013
Outubro 2013
Novembro 2013
Dezembro 2013
Fevereiro 2014



  segunda-feira, 24 de outubro de 2011
Sobre sinceridade, sobre tranquilidade

sin.ce.ri.da.de
sf (lat sinceritate) 1 Qualidade de sincero. 2 Franqueza, lealdade; ausência de dobrez ou de hipocrisia; lisura de caráter. 3 Palavras ou observações sinceras.

Existe essa coisa, essa coisa que todo mundo pode esperar de mim, menos eu. É da sinceridade que eu falo. Deve ser por isso que sempre me surpreendo quando alguém me faz um elogio, seja ele qual for. Pode ser que a pessoa diga que eu sou competente. É mentira. Pode ser que a pessoa diga que eu sou esforçada. Outra mentira. É mentira porque ela não sabe que custa muito, mas muito mesmo, manter isso.

Daí que eu concluo que venho sendo incoerente comigo mesma e isso faz tempo. É incoerência quando eu espero dos outros, que os outros façam coisas que eu não faço para mim mesma, mesmo quando poderia, quando deveria. Posso, devo, quero? Três perguntas que são fáceis de ser respondidas, mas nem por isso fáceis de ser encaradas.

Ser coerente é quando você sabe que precisa poder, dever e querer para que uma coisa seja possível. Não possível no sentido de existir e pronto. Muita coisa acontece por aí sem poder, sem dever e sem querer. Mas possível no sentido de não fazer mal. De não fazer a gente ir dormir com uma dor que quando a gente é criança não sabe o que é, então chora e busca colo, bico, cheiro. E quando a gente cresce, descobre que chama angústia, mas nem por isso deixa de desejar o colo, o bico e o cheiro.

Se eu pudesse fazer um pedido hoje, seria o seguinte: eu quero um pouco de tranquilidade. Não na vida, não na correria do dia a dia, que isso eu já entendi que não foi feito pra mim. Mas eu queria um pouco mais de tranquilidade de mim para comigo mesma. Ficar tranquila. Pedido que tem se demonstrado mais difícil que o último que fiz, aquele de me apaixonar de novo.

[ 1 Comentários]
eXTReMe Tracker