a dona desse blog
é de uma teimosia absurda. além de ser psicóloga, é leitora, aspirante à escritora, filha, irmã, tia e amiga, é indecisa por natureza, não sabe fazer planos e deixa sua vida ser dominada por uma ansiedade que ela sempre achou que disfarçava bem. acha que todo dia é ideal pra questionar se suas ações estão certas, se está sendo justa consigo, se faz o que gosta (e por enquanto faz). é uma dessas pessoas que gosta da solidão da própria companhia mas não dispensa uma cervejinha com aquelas pessoas que sabem conversar, de preferência em um boteco bem boteco, porque estes servem as mais geladas.

livejournal
orkut
lastfm
twitter
facebook

links
ficadica
lentes coloridas
música de elevador
felicidade plástica
te amo, porra
um solilóquio
assopra tu
fuxicando sobre artes
luckyscars
e a vida, etc.
tofu studio
pipoca com cerveja
don't hesitate to hate
casa da chris
fina flor
fingindo dores
das minhas cores
que besteira
clarissa lamega
circulando por curitiba
terra da garo(t)a
just roll the dice
tantos clichês
I misbehave
vai melhorar, eu juro
superoito
sem pickles
um conto para narciso


passado
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010
Junho 2010
Julho 2010
Agosto 2010
Setembro 2010
Outubro 2010
Novembro 2010
Dezembro 2010
Janeiro 2011
Fevereiro 2011
Março 2011
Abril 2011
Maio 2011
Junho 2011
Julho 2011
Agosto 2011
Setembro 2011
Outubro 2011
Novembro 2011
Dezembro 2011
Janeiro 2012
Fevereiro 2012
Março 2012
Abril 2012
Maio 2012
Junho 2012
Julho 2012
Novembro 2012
Janeiro 2013
Fevereiro 2013
Março 2013
Abril 2013
Junho 2013
Agosto 2013
Setembro 2013
Outubro 2013
Novembro 2013
Dezembro 2013
Fevereiro 2014



  terça-feira, 27 de setembro de 2011
Sobre voltar

Nessa semana encontrei uma amiga que não via há algum tempo e ela disse que vem acompanhando a minha vida por aqui. Segundo ela, dá para saber quando eu tô bem e quando eu não tô tão bem assim, de acordo com o que eu escrevo.

Fiquei pensando nisso. Sobre estar e não estar bem. E cheguei à conclusão que, apesar de um ou outro texto um pouco melancólico, há muito tempo estou bem. Bem no sentido amplo, aquele que faz a gente trabalhar, ver os amigos, ter vontade de sair, de ir ao cinema, de tomar uma cerveja. Sim, faz um bom tempo que eu estou muito bem.

Nos últimos tempos andei tomando decisões importantes, como a de voltar a morar em Guarapuava até passar no doutorado, e aí, só Deus sabe para onde eu vou mudar. Isso de voltar é difícil pra mim. Muito. Porque eu gosto muito de morar em Curitiba. Ontem, atravessando a Santos Andrade, me dei conta do quanto. E decidi sair caminhando por aí, fazer tudo o que eu tinha pra fazer a pé, um jeito de lembrar bem de todas as ruas, dos bairros que eu gosto.

Ano passado, nessa época, eu comecei a escrever a dissertação. Semana que vem, vou começar a escrever o terceiro e último capítulo, isso se a Nossa Senhora da Não-Procrastinação me ajudar. Tenho uma impressão esquisita com o mestrado terminando, não faz muito sentido. Parecia que eu ia ficar pra sempre fazendo isso. Soa meio maluco, eu sei, mas eu não queria que terminasse.

O mestrado e esse tempo em Curitiba foram coisas muito boas. Cheguei a pensar que aqui era meu lugar. É difícil começar a me despedir do que foi bom. Tô começando a minha despedida, tô começando a pensar em caminhão de mudança, tô começando a pensar em arranjar caixas para colocar minha vida itinerante dentro e voltar para onde eu sempre acabo voltando.

[ 2 Comentários]
eXTReMe Tracker