a dona desse blog
é de uma teimosia absurda. além de ser psicóloga, é leitora, aspirante à escritora, filha, irmã, tia e amiga, é indecisa por natureza, não sabe fazer planos e deixa sua vida ser dominada por uma ansiedade que ela sempre achou que disfarçava bem. acha que todo dia é ideal pra questionar se suas ações estão certas, se está sendo justa consigo, se faz o que gosta (e por enquanto faz). é uma dessas pessoas que gosta da solidão da própria companhia mas não dispensa uma cervejinha com aquelas pessoas que sabem conversar, de preferência em um boteco bem boteco, porque estes servem as mais geladas.

livejournal
orkut
lastfm
twitter
facebook

links
ficadica
lentes coloridas
música de elevador
felicidade plástica
te amo, porra
um solilóquio
assopra tu
fuxicando sobre artes
luckyscars
e a vida, etc.
tofu studio
pipoca com cerveja
don't hesitate to hate
casa da chris
fina flor
fingindo dores
das minhas cores
que besteira
clarissa lamega
circulando por curitiba
terra da garo(t)a
just roll the dice
tantos clichês
I misbehave
vai melhorar, eu juro
superoito
sem pickles
um conto para narciso


passado
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010
Junho 2010
Julho 2010
Agosto 2010
Setembro 2010
Outubro 2010
Novembro 2010
Dezembro 2010
Janeiro 2011
Fevereiro 2011
Março 2011
Abril 2011
Maio 2011
Junho 2011
Julho 2011
Agosto 2011
Setembro 2011
Outubro 2011
Novembro 2011
Dezembro 2011
Janeiro 2012
Fevereiro 2012
Março 2012
Abril 2012
Maio 2012
Junho 2012
Julho 2012
Novembro 2012
Janeiro 2013
Fevereiro 2013
Março 2013
Abril 2013
Junho 2013
Agosto 2013
Setembro 2013
Outubro 2013
Novembro 2013
Dezembro 2013
Fevereiro 2014



  terça-feira, 10 de maio de 2011
Sobre a preguiça das pessoas

Ando com preguiça das pessoas e não consigo evitar. Pode perceber, eu não emplaco assuntos novos, eu faço comentários adequados ao que se está falando, mas no fundo, bem no fundo, eu quero ficar quieta, de preferência sozinha, de preferência fazendo nada. É que essa preguiça das pessoas está se tornando preguiça da dissertação. Muito tempo depois da qualificação finalmente eu consegui pensar o que fazer daqui pra frente. Mas entre o plano e a execução, que difícil.

Ando irritada e ando briguenta. Ando um pouco dona da verdade também. Outro dia me falaram que eu não sei ouvir a opinião alheia e eu saí desfiando as últimas ocasiões em que tudo o que fiz foi ouvir a opinião alheia, aceitar e mudar a minha. Quer dizer, não consegui ouvir a opinião alheia de que eu não sei ouvir a opinião alheia. Coisas da vida.

Acho que isso vai passar, acho que tem a ver com cansaço, não o físico, mas o mental. O único sinal que meu corpo lança pra me avisar que tá sentindo novamente as viagens semanais é meu joelho direito dolorido. É que eu tenho encurtamento muscular porque eu sou sedentária há anos. Eu não faço alongamento, não caminho, não faço dança de salão, não vou à academia e meu joelho direito dói como se estivesse inflamado. É bem ruim. Daí eu digo que não tenho tempo para a academia, mesmo sabendo que eu não funciono mentalmente de manhã cedo e tô aqui postando no blog e gastando minutos na internet. A gente foge.

Se eu pudesse dar um conselho eu diria para evitar agora qualquer cobrança, por menor que seja. Uma cobrançazinha de nada pode enfurecer vários sentimentos dentro de mim que nem eu quero lidar e nem quero que os outros lidem. Nunca gostei de cobranças dos outros e isso deve ter a ver com o fato de que é sintoma meu me cobrar o tempo todo e saber exatamente o que quanto eu devo para todo mundo. Então, acredite em mim, por mais insatisfeito que você esteja comigo, eu estou mais.

[ 3 Comentários]
eXTReMe Tracker