a dona desse blog
é de uma teimosia absurda. além de ser psicóloga, é leitora, aspirante à escritora, filha, irmã, tia e amiga, é indecisa por natureza, não sabe fazer planos e deixa sua vida ser dominada por uma ansiedade que ela sempre achou que disfarçava bem. acha que todo dia é ideal pra questionar se suas ações estão certas, se está sendo justa consigo, se faz o que gosta (e por enquanto faz). é uma dessas pessoas que gosta da solidão da própria companhia mas não dispensa uma cervejinha com aquelas pessoas que sabem conversar, de preferência em um boteco bem boteco, porque estes servem as mais geladas.

livejournal
orkut
lastfm
twitter
facebook

links
ficadica
lentes coloridas
música de elevador
felicidade plástica
te amo, porra
um solilóquio
assopra tu
fuxicando sobre artes
luckyscars
e a vida, etc.
tofu studio
pipoca com cerveja
don't hesitate to hate
casa da chris
fina flor
fingindo dores
das minhas cores
que besteira
clarissa lamega
circulando por curitiba
terra da garo(t)a
just roll the dice
tantos clichês
I misbehave
vai melhorar, eu juro
superoito
sem pickles
um conto para narciso


passado
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010
Junho 2010
Julho 2010
Agosto 2010
Setembro 2010
Outubro 2010
Novembro 2010
Dezembro 2010
Janeiro 2011
Fevereiro 2011
Março 2011
Abril 2011
Maio 2011
Junho 2011
Julho 2011
Agosto 2011
Setembro 2011
Outubro 2011
Novembro 2011
Dezembro 2011
Janeiro 2012
Fevereiro 2012
Março 2012
Abril 2012
Maio 2012
Junho 2012
Julho 2012
Novembro 2012
Janeiro 2013
Fevereiro 2013
Março 2013
Abril 2013
Junho 2013
Agosto 2013
Setembro 2013
Outubro 2013
Novembro 2013
Dezembro 2013
Fevereiro 2014



  terça-feira, 28 de dezembro de 2010
Sobre o que pedir para 2011

Nunca lembro dos meus pedidos. Eu pulo as ondas, como as uvas, as sementes de romã e o todo o resto, faço os pedidos. Mas nunca lembro deles, nem uma vaga lembrança, não sei o que quis. Fico aqui imaginando. Acho que esqueço porque não gosto da época, essas festas me desagradam, desde pequena eu sinto uma tristeza e uma vontade grande que acabe rápido, que os beijos sejam dados em todos ao redor, os votos idem. Quero ir pra casa e ler um livro, quietinha, porque isso sim me deixa feliz.

Gosto de comemorar aniversários, gosto de sair, gosto de fazer festa. Mas natal e ano novo me deprimem demais e não adianta onde eu esteja e com quem. Quero que acabe pra que a gente pare de pensar no que passou e no que está por vir e comece a viver logo, não com ansiedade, não com pressa, mas com a condição necessária para dar conta da vida. Só isso que eu quero.

Eu fiquei muito feliz em 2011 por ter descoberto que dá pra se apaixonar de novo. Eu que achava que aquela coisa toda a gente sente só uma vez na vida, estava enganada. Por isso, acho que se uma lista eu fosse fazer, colocaria em primeiro lugar um grande amor. É que eu aprendi que é tão gostoso isso de estar sozinha que acho que tá na hora de eu voltar a dividir a minha solidão. E ter um pouco mais da solidão de outra pessoa. Sinto falta disso.

A segunda coisa seria passar no doutorado. Eu que nem qualifiquei minha dissertação ainda tô pensando longe. Mas são planos, vamos ver o que vai acontecer. E na lista seguem várias outras coisas. Quero trabalhar, voltar a fazer francês, começar um curso de corte e costura e sossegar das viagens, o que sei que não vai rolar porque tenho programado Fortaleza e Rio. Quero estudar e escrever bastante. Quero ler mais livros de bobagens, ir mais ao cinema e comer mais frutas. Quero ir à feira que tem perto da minha casa. Quero dar pulos de alegria por bobagens, porque eu sou desse jeito. Quero ver mais aquelas amigas que vejo pouco e que estão tão perto. Quero me apaixonar. De novo, porque eu não desisto, eu sou aquela menina que dá murros em pontas de facas.

[ 2 Comentários]
eXTReMe Tracker