a dona desse blog
é de uma teimosia absurda. além de ser psicóloga, é leitora, aspirante à escritora, filha, irmã, tia e amiga, é indecisa por natureza, não sabe fazer planos e deixa sua vida ser dominada por uma ansiedade que ela sempre achou que disfarçava bem. acha que todo dia é ideal pra questionar se suas ações estão certas, se está sendo justa consigo, se faz o que gosta (e por enquanto faz). é uma dessas pessoas que gosta da solidão da própria companhia mas não dispensa uma cervejinha com aquelas pessoas que sabem conversar, de preferência em um boteco bem boteco, porque estes servem as mais geladas.

livejournal
orkut
lastfm
twitter
facebook

links
ficadica
lentes coloridas
música de elevador
felicidade plástica
te amo, porra
um solilóquio
assopra tu
fuxicando sobre artes
luckyscars
e a vida, etc.
tofu studio
pipoca com cerveja
don't hesitate to hate
casa da chris
fina flor
fingindo dores
das minhas cores
que besteira
clarissa lamega
circulando por curitiba
terra da garo(t)a
just roll the dice
tantos clichês
I misbehave
vai melhorar, eu juro
superoito
sem pickles
um conto para narciso


passado
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010
Junho 2010
Julho 2010
Agosto 2010
Setembro 2010
Outubro 2010
Novembro 2010
Dezembro 2010
Janeiro 2011
Fevereiro 2011
Março 2011
Abril 2011
Maio 2011
Junho 2011
Julho 2011
Agosto 2011
Setembro 2011
Outubro 2011
Novembro 2011
Dezembro 2011
Janeiro 2012
Fevereiro 2012
Março 2012
Abril 2012
Maio 2012
Junho 2012
Julho 2012
Novembro 2012
Janeiro 2013
Fevereiro 2013
Março 2013
Abril 2013
Junho 2013
Agosto 2013
Setembro 2013
Outubro 2013
Novembro 2013
Dezembro 2013
Fevereiro 2014



  quarta-feira, 18 de março de 2009
Sobre anestesia

"subst f anestesia [ɐnəʃtə'ziɐ] tratamento para suprimir a sensibilidade"

A associação imediata que eu faço com a palavra anestesia é dor. Durante muito tempo, quando ia ao dentista, não recebia anestesia. Mesmo para tratar cárie. Quando eu tinha 17 anos, precisei tratar uma e fui em outra dentista. Fiquei muito admirada que ela aplicou uma anestesia para retirar a cárie.

Eu pensava que as anestesias serviam para tirar cisos, fazer tratamentos de canal, extração de dentes, enfim. Por outro lado, achei bem bacana a situação de ficar com a boca adormecida e não sentir nem a pressão que faz aquela maquininha do dentista.

O mais engraçado é que eu era uma criança pequena e não lembro de sentir dor. A dentista falava pra mim "Se doer, você me avisa". A dentista atual fala "Pra evitar a possibilidade de dor, vamos anestesiar". Eu conto essa história porque hoje, na vida, normal é anestesiar.

A vida é sofrida e isso é fato. Mas me constrange a dificuldade que é encarar esse sofrimento. Há uma verdadeira inconformidade das pessoas diante da dor de viver. Ansiedade, insônia, depressão, as famosas (e mal denomidadas) crises de pânico (um pouco demodé), transtorno de personalidade bipolar (esse tá bombando). Existe anestesia pra isso.

Lacan chama de covardia moral o recuo do sujeito diante do seu desejo. Mas isso não é um julgamento. É fato que acontece o tempo todo e com todos. Encarar a liberdade pelo próprio desejo o tempo todo seria ideal. E o que é ideal fica só no mundo das idéias mesmo. A verdade é que todo mundo vez ou outra recua diante da vida, recua diante do próprio desejo. E se eu me anestesio, eu recuo diante de todos eles. Isso é supressão da sensibilidade, conforme a definição do termo. Que no caso das anestesias para as dores da alma, suprimem a personalidade mesmo.

[ 0 Comentários]
eXTReMe Tracker