a dona desse blog
é de uma teimosia absurda. além de ser psicóloga, é leitora, aspirante à escritora, filha, irmã, tia e amiga, é indecisa por natureza, não sabe fazer planos e deixa sua vida ser dominada por uma ansiedade que ela sempre achou que disfarçava bem. acha que todo dia é ideal pra questionar se suas ações estão certas, se está sendo justa consigo, se faz o que gosta (e por enquanto faz). é uma dessas pessoas que gosta da solidão da própria companhia mas não dispensa uma cervejinha com aquelas pessoas que sabem conversar, de preferência em um boteco bem boteco, porque estes servem as mais geladas.

livejournal
orkut
lastfm
twitter
facebook

links
ficadica
lentes coloridas
música de elevador
felicidade plástica
te amo, porra
um solilóquio
assopra tu
fuxicando sobre artes
luckyscars
e a vida, etc.
tofu studio
pipoca com cerveja
don't hesitate to hate
casa da chris
fina flor
fingindo dores
das minhas cores
que besteira
clarissa lamega
circulando por curitiba
terra da garo(t)a
just roll the dice
tantos clichês
I misbehave
vai melhorar, eu juro
superoito
sem pickles
um conto para narciso


passado
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010
Junho 2010
Julho 2010
Agosto 2010
Setembro 2010
Outubro 2010
Novembro 2010
Dezembro 2010
Janeiro 2011
Fevereiro 2011
Março 2011
Abril 2011
Maio 2011
Junho 2011
Julho 2011
Agosto 2011
Setembro 2011
Outubro 2011
Novembro 2011
Dezembro 2011
Janeiro 2012
Fevereiro 2012
Março 2012
Abril 2012
Maio 2012
Junho 2012
Julho 2012
Novembro 2012
Janeiro 2013
Fevereiro 2013
Março 2013
Abril 2013
Junho 2013
Agosto 2013
Setembro 2013
Outubro 2013
Novembro 2013
Dezembro 2013
Fevereiro 2014



  quarta-feira, 24 de setembro de 2008
Sobre os anjos

Logo, logo é meu aniversário. Como presente decidi que custasse o que custasse, eu iria ao show do Marcelo Camelo. Eu não fui a muitos shows na minha vida. Mas foram muito importantes aqueles que eu fui. Mudaram coisas, de verdade. É engraçado como isso pode acontecer, mas comigo sempre acontece.

Algumas pessoas precisam pular de pára-quedas para verem se dão conta do turbilhão de sentimentos. Outras decidem deixar os sentimentos de lado e escolhem os antidepressivos. Há os que bebem, comem e/ou transam pra esquecer. Eu pertenço à categoria que vai em shows. Mesmo que seja um por ano. Escolho bem para valer à pena, e ter o efeito apaziguador por meses a fio.

Esse ano deixei de ir ao show da Fernanda Takai porque sou besta. Mas não vou deixar de ir no do Marcelo Camelo. Por acaso, as pessoas que vão são as mesmas que foram comigo ao show do Los Hermanos há quase dois anos. Hoje mais cedo, eu estava ouvindo o álbum dele e em uma das músicas tem uma frase que diz que "...todo ser humano pode ser um anjo".

Essa semana, mandei uma mensagem para um número errado. Mesmo assim, a pessoa que recebeu a mensagem respondeu e fez como faria com qualquer um que conhecesse. Disse ainda que sempre que precisar, é só avisar. Em momentos como esse eu deixo um pouco de lado meu pessismismo em relação à humanidade maluca e fico feliz, em paz por sempre ter a boa sorte de encontrar boas pessoas pessoas pelo meu caminho.

[ 2 Comentários]
eXTReMe Tracker